em Educação, Notícias, Política
Especialistas vão debater sobre como o desenvolvimento de senso crítico é fundamental para que novas gerações consigam reconhecer mentiras e combater a desinformação na internet
Como diferenciar informação falsa da verdadeira? Como identificar que o discurso, apesar de atraente, é mentiroso? Isso só é possível com o desenvolvimento de uma análise crítica, a partir do domínio de competências e habilidades de leitura e escrita que estão no cerne da formação de leitores que têm discernimento e, portanto, estão menos suscetíveis a caírem nas armadilhas das fake news. É nesse contexto que surge a “Educação Midiática”, disciplina prevista na nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), como uma vacina contra esse mal de efeitos nefastos ainda mais evidenciados no atual cenário de pandemia.
Para debater o assunto, o Interlegis irá realizar o Webinar Educação Midiática, na próxima sexta-feira (11), das 15h às 17h30, com a presença de especialistas no assunto. O tema faz parte do ciclo de palestras “Bem-Estar Digital: Uso Saudável da Tecnologia”, que tem curadoria da jornalista Diana Leiko.
O senador Flávio Arns (Podemos-PR), vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte, vai abrir o seminário virtual.
— Estamos vivendo a era da desinformação e para combater isso precisamos de educação, acesso a informações verificadas e senso crítico para poder identificar notícias falsas. O papel da escola é fundamental nesse processo e a educação midiática tem o propósito de promover esse debate e levar esse conhecimento aos estudantes — enfatizou o parlamentar.
A mediação ficará a cargo do jornalista Rui Gonçalves.  O evento vai ser transmitido nos canais da TV Senado e do Interlegis no Youtube e no portal e-Cidadania (https://www12.senado.leg.br/ecidadania), que vai disponibilizar certificado de participação válido como horas extracurriculares para universitários.
O diretor-executivo do Interlegis, Márcio Coimbra, ressalta a importância do debate.
— A educação midiática é um forte instrumento de combate à desinformação no país. Um olhar mais crítico para a enxurrada de conteúdos a que somos expostos diariamente pelas plataformas digitais pode diminuir os riscos de compartilhamento de boatos e informações falsas — afirmou Coimbra.
Entre os participantes do Webinar está o professor Carlos Lima, criador do programa educativo “Imprensa Jovem” e um dos vencedores do Prêmio Aliança para Mídia e Informação 2020 da UNESCO. O projeto Imprensa Jovem é desenvolvido, desde 2005, pelo Núcleo de Educomunicação da Secretaria Municipal de São Paulo. Hoje conta com aproximadamente 100 agências de notícias em funcionamento nas escolas de Ensino Infantil e Fundamental da capital paulista.
Douglas Silveira, diretor de Marketing e Educação da Agência Lupa, também tem presença confirmada. Formado em Publicidade e Jornalismo pela PUC-Rio, tem pós-graduação em Filosofia pela Universidade de Brasília (UnB) e MBA em Marketing Digital pela FGV-Rio. De 2001 a 2007, trabalhou na programação do Canal Futura, atuando também na produção das três primeiras edições do Prêmio Gestão Escolar, da Fundação Roberto Marinho. De 2008 a 2016, foi gerente de Comunicação da TV Escola, canal do Ministério da Educação, em Brasília. Desde março de 2017, coordena o programa LupaEducação.
Já Cristiane Parente, outra participante, é doutora e pesquisadora em Ciências da Comunicação pelo Centro de Estudos em Comunicação e Sociedade (CECS) do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho (Portugal), mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB), mestre em
Comunicação, Cultura e Educação pela Universidade Autônoma de Barcelona (Espanha), jornalista, professora, sócia-diretora da Iandé Comunicação e Educação.
André Pasti vai representar o Intervozes, uma associação brasileira que trabalha pela efetivação do direito humano à comunicação. Ele é professor do Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas, na Universidade Federal do ABC (UFABC).  Coordenou a pesquisa Media Ownership Monitor Brazil, parceria do Intervozes com a Repórteres Sem Fronteiras, e foi professor do Colégio Técnico de Campinas – Unicamp, onde desenvolveu os projetos de educação midiática Observatório da Mídia e Conexão Cotuca. Também é doutor em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP) e mestre pela Unicamp.
Representando a Fundação Casa Grande, organização de Nova Olinda (CE) que investe na formação educacional de jovens e crianças por meio de diversos programas, estarão presentes Letícia Diniz, fotógrafa e diretora da TV Casa Grande, onde dirige a série 100 Canal, e Helio Filho, fotógrafo, videomaker e artista visual. Trabalha com edição de vídeos e animação. Criada em 1992, a fundação se transformou em uma escola de comunicação e hoje conta com o apoio de entidades como o Unicef, o Instituto Ayrton Senna, os governos estadual e municipal e as Universidades Federal do Ceará e Regional do Cariri.
O Interlegis é o “think tank” do Senado Federal”, centro de debates e produção de discussões de temas relevantes para o desenvolvimento do Brasil.
Postagens Recomendadas

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar